18 de mar de 2013

Para nunca esquecer

Sonhar pode ser bom ou péssimo. Mas esse sonho que eu tive com certeza foi um dos meus melhores. Nele, meu vô (já falecido) estava em um quarto doente e um por um da família ia entrando para se despedir e todos saiam chorando, tristes...mas quando chegou a minha vez, eu entrei e quando saí todo mundo me perguntou por que eu saí rindo, alegre. Aí eu contei que eu entrei, coloquei a mão nele, então ele acordou, sorriu pra mim, pegou a minha mão, fez cócegas e começou a brincar dizendo que tinha "coceguinhas" e o meu sonho terminou com ele dizendo que me amava muito. 

Quem me conhece sabe o medo que eu tenho da morte, de morrer...(Quando era pequena e íamos visitar o túmulo dele, ao chegar em casa, eu tinha pavor daquela terra que ficava grudada nos meus sapatos), mas depois daquele sonho, tenho percebido que isso não me causa mais tanto terror, sabe?
Eu convivi muito pouco com o meu vô, ele morreu quando eu era pequena, então a minha imaginação sobre ele sempre foi muito fértil: já sonhei que o seu caixão estava no banheiro de casa, já sonhei com um quarto escuro e ele morrendo, doente. Mas esse sonho eu acredito que foi um presente dele, de Deus, pois ternura maior não há de existir.

8 de mar de 2013

Nem sempre há tempo suficiente.

Não deu tempo de ver o show do Charlie Brow Jr. pela primeira vez.

Com os ingressos comprados, ele nos apronta essa! Suas músicas - poesias sempre despertarão em mim coisas boas, momentos bons de minha vida, pessoas especiais...fez parte de minha adolescência e juventude oras! O meu desejo é que as pessoas tenham motivações para pular essa parte de "drogas" da famosa frase "drogas, sexo e rock n' roll"... Tanta vida pra viver, tanto talento, tanta letra de música que marcou tanta gente, tanta, tanta, tanta coisa interrompida...

Obrigada por ter feito parte da trilha sonora da minha vida. E, descanse em paz.

"Existe um dom natural que todos temos
Nossas escolhas vão dizer pra onde iremos
Mas se for pra falar de algo bom
Eu sempre vou lembrar de você

Difícil não lembrar do que nunca se esqueceu
Fácil perceber que seu amor é meu
Difícil não lembrar do que nunca se esqueceu
Fácil perceber que meu amor é seu

Eu quero estar amanhã ao seu lado quando você acordar
Eu quero estar amanhã sossegado e continuar a te amar
Eu quero um sonho realizado, uma criança com seu olhar
Eu quero estar sempre ao seu lado, você me traz paz"

2 de mar de 2013

A menina do lanche

O engraçado é que panelinhas existem, seja no trabalho, na escola, na família ou na faculdade. E num dos shoppings em que trabalhei havia uma panelona. Panelona essa que implicava com uma tal menina. A razões que eles diziam, veja bem, diziam ter, eram muitas, mas nenhuma eu tinha presenciado ou nem mesmo sentido na pele. E como eu sou daquelas que para gostar ou não gostar de alguém tenho que ter meus próprios motivos,  continuava conversando com a menina normalmente.
A verdade é que a menina era bonita, pique modelo mesmo, sabe? Chamava atenção e gostava disso. Até aí ela não tem culpa nenhuma de eu ser mais discreta ou não ter nascido com corpão e 1.70m de altura. E desde que eu entrei na empresa ela sempre foi super gentil comigo, me chamava para almoçar, contava seus casos amorosos, suas tristezas e me fazia rir muito. Um dia, uma colega de trabalho e grande amiga que trabalhava ao meu lado diariamente nos liga dizendo que não irá trabalhar porque o marido dela faleceu. Esse foi um dia muito triste, muito confuso e eu não quiz sair para almoçar. Todos foram comer e eu fiquei lá no meu posto de secretária, sozinha. Agora, acredita quem me chega com um lanche de presunto e queijo feito por ela mesma com coisas do mercado e um copo de suco gelado na minha mesa? Ela mesma. A menina que ninguém "curtia" no escritório e que por algum motivo eu gostava muito da sua companhia. 
Desde então essa menina tem um espacinho no meu coração e dentro dele ela é conhecida  como a menina que me trouxe um lanche e um suco quando eu não consegui (psicologicamente e fisicamente) sair para almoçar.

Lembrei de tudo isso hoje quando precisei de um favor dessa menina e mesmo sem nos falarmos há um bom tempinho, rimos e eu fiquei com saudade daquele tempo. E o meu coração hoje tá cheio disso: "espacinhos de amizade" que foram marcadas por um gesto, uma palavra. 

Já pensou se eu tivesse seguido a "massa" e cortado relações com a tal menina porque "ninguém gostava dela"?? Eu teria hoje um coração mais inteiro, enorme e vazio.