16 de jan de 2013

"Pensava o Crisóstomo que algures na pequena vila haveria alguém a sua espera como se fosse verdadeiramente a metade de tudo o que lhe faltava. E muito pouco lhe importava o disparate, tinha nada de vergonha e sonhava tão grande que cada impedimento era apenas um pequeno atraso, nunca a desistência ou a aceitação da loucura.... Pensava que quando se sonha tão grande a realidade aprende."

Sabe aquele livro que você lê com todo cuidado, página a página, por que tem medo que ele acabe? Pois é, esse é um deles - O filho de mil homens (Valter Hugo Mãe)