29 de nov de 2011

Hoje quando eu voltava pra casa depois de um dia super peculiar e nada auspicioso eu ensaiei começar a reclamar mentalmente... sabe, eu faço isso com frequência, reclamo mais comigo mesma do que com ou outros...e eu mesma me respondo. Louca que sou, crio diálogos, cenas de novela mexicana, corto cabeças, me dou novas chances, falo as coisas que deveria ter dito e calei...TUDO NA MINHA MENTE! Há!

E, foi no exato momento em que eu iria iniciar um devaneio desses no meio da rua, eu disse pra mim mesma: Parou! Silêncio menina. Já deu por hoje.
E, vim assim pra casa: em silêncio comigo mesma. Sem questionar, sem reclamar. Só voltando pra casa...e foi tão bom sabe?

26 de nov de 2011

Assisti esses dias um filme demais, com nome aqui no Brasil "Amizade Colorida". Sim, é uma comédia romântica, mas engana-se quem pensa que é só mais uma. Tem o charmoso do Justin Timberlake e tem a sua bundinha de fora (convenhamos rs)... e dá para se apaixonar fácil por esse filme por inúmeras coisas: trilha sonora (Jump Jump), Justin, cenas apaixonantes de um casal moderno (um conto de fadas da vida real) e também a questão do Alzheimer sendo tratada de forma real. Não vou contar o filme...vale a pena assistir!

Lembrei muito do meu avô ao prestar mais atenção na história...Ele está com um começo de Alzheimer (bemm no começo mesmo, então o efeito do tratamento é bom) e ele esquece de algumas coisas, conta histórias repetidas vezes e eu gostaria que todos tivessem a paciência que o Justin (fiquei íntima dele agora) teve com o seu pai no filme. Meu vô sempre será o meu vô, independente de quantas vezes ele contar uma história, de quantas vezes ele esquecer um fato. Eu amo ele pelo que ele foi e pelo que ele é comigo. E, posso falar? Ele vai tirar isso de letra como fez com tantas outras coisas!

23 de nov de 2011

Pra variar.

Depois de tanto bater a cabeça, eu decidi que não quero mais ficar reclamando a todo o momento e tentando entender o por que de eu ter feito aquilo e não isso. Eu hoje quero agradecer. Agradecer justamente por ter feito aquilo e não isso. Com certeza, tem uma razão pra tudo isso. 
Hoje, eu vou agradecer tudo: vida, família, irmã (eu sou tão louca que coloco a minha irmã fora da classe família), aquele garoto que eu tanto amo, amigos, minha personalidade, meu jeito de ser, meu corpo (que me carrega o dia inteiroo), as músicas que escutei e que ainda vou escutar, os lugares que já fui e que ainda irei, os filmes (nossa ainda tem tantos pra assistir), os shows da minha vida, a criancinha que não morreu, os cachorros que me fazem fazer cara de boba a todo o momento, os meus primos que tanto me odeiam quando eu coloco o cabelo deles para trás da orelha, o meu emprego, tudo que eu estudei e que ainda vou estudar, as novas línguas que estou aprendendo..., minha saúde.
Bom, é isso...chegou a hora de parar de pedir e agradecer um pouco.

Tks, Deus!