29 de jun de 2011

Aprendendo com Rocky Balboa


Depois que o B. me mostrou um trecho de um dos filmes do Rocky, tenho assistido aos filmes sem parar. Nunca vi personagem tão apaixonante e tão gente ao mesmo tempo. Afinal, Rocky não precisa de quase nada para ser feliz: Ele só precisa de um objetivo na vida, de sua Adrian do lado e de olhos de tigre para enfrentar os obstáculos. É isso que ele é e precisa.

Seu personagem encanta a todos quando diz (repetidamente) à Adrian que não importa o que eles possuem (ele cita a casa, o carros), o que importa é eles sentirem -se realizados e terem um ao outro...
Gente, ele tem até um "uniforme"! Sabe aquela coisa "gostei desta roupa, VOU USAR SÓ ESSA"? Essa coisa infantil mesmo, que a gente bem que gostaria de fazer, mas tem vergonhinha dos outros? Pois é. Rocky não tem e é assim. Lindo com seu uniforme! Há!

Enfim, entre muito sangue, muitos conselhos pra vida e muita pancadaria...posso dizer que me apaixonei por Rocky Balboa. Assisti ao 4º filme de um total de seis e já começo a ficar triste só de pensar na possibilidade de Rocky acabar (Ahhhh)
Precisamos de mais "Rocky´s" neste mundo: gente que precisa de menos e é mais.

2 comentários:

Oscar disse...

boa..Rock é um clássico..e tem mais filosofia q muito livrinho de auto ajuda..=)

Casa de Mãe joana disse...

Verdade. Rock marcou minha infância. Sua filosofia de vida, por baixo daquel amontoado de músculos, trazia alegria e esperança aos que curtem a justiça. É acho que eram outros tempos mesmos. Parabens Cris!!!!!!