6 de set de 2010

"Essa perguntinha: você quer mesmo escrever?
Isolando as cobranças, você continua querendo? Então vai, remexe fundo, como diz um poeta gaúcho, Gabriel de Britto Velho, 'apaga o cigarro no peito / diz pra ti o que não gostas de ouvir / diz tudo'.
Isso é escrever. Tira sangue com as unhas.
E não importa a forma, não importa a 'função social', nem nada, não importa que, a princípio, seja apenas uma espécie de auto-exorcismo. Mas tem que sangrar a-bun-dan-te-men-te.
Você não está com medo dessa entrega? Porque dói, dói, dói. É de uma solidão assustadora.
A única recompensa é aquilo que Laing diz que é a única coisa que pode nos salvar da loucura, do suicídio, da auto-anulação: um sentimento de glória interior.
Essa expressão é fundamental na minha vida."
(Caio Fernando Abreu)

Nenhum comentário: