30 de jun de 2010

Filmes.

Terminei de assistir o filme Nome Próprio. Um filme nacional, cheio de peladice, sexo e palavrão. Mas que possui frases, cenas de uma garota que escreve em seu blog , mas que possui uma vida que fora dele é uma bagunça. Cheia de contradições, desencontros, tentativas e erros ela tenta encontrar nas pessoas com quem se relaciona alguém que cure seu excesso... e o que o filme mostra é que somente as palavras estão conseguindo fazer isso por ela, além de tudo sem exigir nada em troca, ao contrário das pessoas que encontra pelo caminho.
Ela se doa ao máximo. Ela deixa um pouco dela em cada pessoa, em uma tentativa quase desumana tenta se encontrar. E acaba se perdendo mais e mais. Ao tentar encontrar alguém que cure seus excessos, ela descobre mais excessos, mais e mais. Até o momento em que perde algo que preservava até então: a capacidade de confiar. Ela perdeu -se.
Um filme estranho, mas que rende boas reflexões. Retrata um pouco como a gente tem vivido: Dando -se na esperança de ter um pouco, de encontrar -se. O resultado: uma equação sem solução. Não há saída desta maneira.

28 de jun de 2010

E a vida é assim: Cheia de coincidências felizes!

E se?

Tem tantos dias que eu olho uma cena, ou sinto alguma coisa e penso: E SE?
Se hoje eu não estivesse onde eu estou? Se eu tivesse tomado uma decisão diferente lá no passado? Se eu não tivesse desistido de algumas coisas? E se eu não tivesse tentado tantas outras? Comofaz? Onde eu estaria agora e como eu estaria me sentindo? Por que será que o que não aconteceu parece ser tão mais certo e realizável do que o que vc está vivendo agora?
Ehh....eu penso demais. Se nada do que estou vivendo hoje não tivesse acontecido, com certeza estaria no mesmo dilema. Isso é fato.

Acabou.

Depois de quase um ano fazendo o bendito tcc, eis que ele chega ao fimm! E com um 10! Graças a Deus minha dupla e eu conseguimos fazer este trabalho, concluir esta etapa! Agora que venha o último semestre... e que seja mais tranquilo que esse. E será!

26 de jun de 2010

Inadequação

Na faculdade eu aprendi sobre a fase de inadequação que uma empresa vive após ocorrer uma mudança em seu mercado. Primeiro ela torna-se inadequada e depois passa para a fase de adequação. E eu acho que é exatamente por esse momento que eu estou passando. Todos os lugares por onde eu passo, eu sinto como se alí não fosse o meu lugar... Tá duro de se achar viu...

21 de jun de 2010

Tem coisas que Deus dá para a gente aprender. E tem coisas que Deus só dá quando a gente aprende.
Stefano Cavalcante.

Medo.

E eu to com medo. Um baita medo. Por que eu simplesmente só consigo sentir saudades de quando eu era recepcionista e não ficava em um escritório fechado, olhando para o relógio de 5 em 5 minutos esperando dar 18h. De quando eu não tinha que ser uma garota séria 8h/dia. De quando eu quase nem fazia meus 30 min. de intervalo direito (afinal não tinha necessidade de fugir do trabalho, adorava estar lá). De quando eu não tinha que entender de comodatos, CD, TT e tantas outras coisas que me tiram o ar só de pensar (e não, não é no sentido de paixão). To com medo. Medo do que vem pela frente. Medo de estar sendo ingrata, insatisfeita. Medo.

20 de jun de 2010

Passado.

E eu sei que passado é uma merda. Que vc imagina seu namorado com todas as outras pessoas que ele esteve e começa a pensar que ele compara pensamentos, personalidades e corpos. Aí vc para e pensa: Passado todo mundo tem e não me venha com aquela frase cliche de que ele preparou vc para mim. O passado não é só mérito dele, eu tbm tenho o meu e tem coisas que são mais mortas outras coisas que as vezes teimam em viver, mas só oq eu quero saber dele é que eu não trocaria ele por nada do real, do agora que eu vivo. Afinal, se seu deixei algo para trás é sinal de que eu sabia que alí era a hora do ponto final, e que no fundo eu sabia que algo estava pronto para começar. E meu, eu que não vou ficar neurótica querendo revirar o passado de quem está comigo... afinal, o tempo diz quem fica e quem vai, e eu quero muito viver o meu presente.

19 de jun de 2010

Blog

Esse ano eu tenho escrito muito aqui. Destes quase 04 anos de blog, o histórico não mente: este ano eu estive muito aquii...rs! E eu tenho muita necessidade de escrever, de falar coisas que não vejo com quem nem como começar a conversar... ou outras que eu após conversar com alguém venho aqui jogar o que eu achei e acabo chegando a outras conclusões. É como se fosse uma terapia. E eu ando sentindo falta da terapia... Talvez volte este ano! Tenho muitas outras coisas para falar aqui... mas ainda não tive tempo de começar...

Job

E eu tenho um novo emprego. Na mesma empresa, mas em uma nova função. E eu adorei a sensação de ser promovida. Eu adorei ver o que está acontecendo na minha vida. Mas, sempre tem o mais. E eu tenho certeza que Deus está vendo todos esses MAS da minha vida. E eu me peguei saindo do serviço ontem dizendo em voz alta: Ai, meu Deus me ajude a gostar muito desse serviço! Por que eu quero me sentir realizada, por que eu não quero ir em um lugar das 09h as 18h para ficar olhando no relógio para sentir as horas passarem. MAS como eu quero agarrar essa oportunidade. Eu quero me sentir realizada. Eu vou me esforçar e vou aprender cada um daqueles contratos enormes daquele arquivo enorme!

15 de jun de 2010

Eu e Vc.

Hoje eu só queria te dizer que de tempos em tempos me questiono o motivo de estarmos juntos. Sabe, em uma conversa telefônica, em uma discussão boba, em frases ditas "sem intenção" eu fico com essa dúvida....aí eu puxo pela memória o quanto gosto de estar com vc, aí o meu coração se acalma, mas confesso que vez ou outra fica uma bagunça enorme aqui dentro. E em vc? Surge isso também? Tem horas que eu me sinto sozinha mesmo estando conversando com vc. Dias de primeiros dias na nova função, que vc ao invés de me dar ânimo parece querer que eu não me encontre, ou pelo menos não reconhece o quanto eu estou tentando me encontrar. Dias que vc vê que eu estou tensa, com mil coisas novas e vc só parece querer me lembrar de quanta coisa eu ainda tenho que fazer, buscar. Dias que eu conto alguma coisa e esperava ouvir vc se empolgar comigo, ou pelo menos tentar demonstrar um pouco de atenção (o que eu sempre tento fazer quando é vc que me conta suas coisas)....Dias estes e tantos outros tão estranhos, tão sinistros, que me fazem pensar: Por que???
UPDATE: O telefone sempre faz isso comigo.... com a gente... ao vivo eu te vejo tãoo diferente..

14 de jun de 2010

Amor.

Eu leio muitos blogs. Muitos. E eu penso, reflito sobre cada coisa que leio. E ao ler um texto sobre a filha estar questionando se o amor do seu pai pela sua mãe é amor mesmo ou só acomodação, e em uma série de acontecimentos a mãe de sua mãe fica muito doente ela passa a ver seu pai se doando de corpo e alma para sua mulher (no caso, a mãe da menina), ela chega a sua conclusão de que não importa se é amor, se ela gosta dele pq só ele entende as piadas dela, se ele só gosta dela pq é ela que faz o melhor bolo de fubá... nada disso importa...
Amor é ter alguém que cuida de vc enquanto sua mãe está morrendo.
E ponto. Todo o resto a gente inventa para confundir a nossa própria mente.

9 de jun de 2010

Sabe o que eu tava pensando??

Que cada um tem sua escolha, sua vida, suas opções isso eu sei, mas eu não consigo entender como alguém pode não acreditar em nada. Em um momento de desespero não pedir ajuda a Deus ou em um momento em que tudo dá certo, não olhar para o céu e dizer OBRIGADA!!! Eu não consigo entender, deve sobrar um vazio. Eu me peguei pensando nisso esses dias, quando tudo em terra firme não te dá certeza nenhuma e só resta acreditar que alguém é por vc, aconteça oq acontecer... E a sensação de gratidão, de aconchego, mesmo estando sozinho no quarto compensa tudo. Vale super a pena.
Meu pai me surpreendeu muito esses dias e eu confio nele mais do que ontem, pra vida toda!

7 de jun de 2010

Num passe de mágica!

Sabe o que eu queria agora?? Me teletransportar para daqui a 30 dias (olha que progresso, antes eu queria me ver daqui a 05 ano, no mínimo, rs).... Eu quero ver onde eu vou estar sentada das 09h - 18h... Eu quero muito essa paisagem que está na minha mente agora, neste exato momento.

4 de jun de 2010

Apenas o fim.

Ontem eu terminei de ver um filme despretensioso (sim, eu sempre assisto filmes em no mínimo duas partes) e algo me surpreendeu, me chocou e me deu paz: Tem coisas que quando acabam, a gente se descabela, esperneia, não quer acreditar e acaba por esquecer de tudo que já passou, tudo que já foi feliz algum dia.
Este filme, basicamente conta a história de um casal de namorados aparentemente felizes, mas sempre questionadores, que acaba por ver o fim da relação quando a menina decide largar tudo(cidade, namorado, amigos e enfim) e ir atrás do desconhecido, morar em outro lugar, descobrir uma nova vida... segundo ela, onde quer que ela esteja, ela sempre tem a sensação de estar faltando algo... e é em busca disso que ela tem que ir atrás, antes que seja tarde demais. E ela resolve comunicar isso para o namorado uma hora antes de sua partida. E nessa uma hora, eles se conhecem muito mais do que durante o namoro todo....
Eh um filme lindo, normal, que fala de pessoas normais, sem máscaras, que possuem angústias e que não fingem que elas não estão lá. Super recomendo...talvez assista novamente hoje!

3 de jun de 2010

As vezes eu fico esperando uma resposta contrária a que eu queria só para ver no que vai dar... como se isso fosse me revelar um caminho certo, uma direção.Mas, a vida vem e me fala: Fica na sua, não queira controlar o que já está encaminhado... não vou te mostrar tudo de uma vez assim!
"Ser pessoa implica num processo dinâmico. Em outras palavras, se você me conheceu ontem, por favor, não vá pensar que é a mesma pessoa que está encontrando hoje. Experimentei mais da vida, encontrei mais coisas nas pessoas que amo, sofri e supliquei, e estou diferente. Por favor, não me atribua um valor médio, fixo e irrevogável, porque estou atento o tempo todo, aproveitando cada oportunidade do meu dia a dia." Rúben César Veloso