11 de abr de 2010

...

Não precisava ser cego para ver. Não adiantava mais fingir que estava tudo bem. Eu peguei no ar. Eu peguei nos seus olhos e nas suas palavras. Mas, simplesmente não queria acreditar...eu só queria acreditar que estava tudo bem...que era só os dias passarem e a gente voltaria ao estado normal (acreditei que éramos resilientes, sabe?). 
Mas, como eu sempre digo: uma hora a bola cai. E eu vi que não dava mais para fingir... Não importa se é das coisas que fazemos ou se é de mim ou das coisas que ainda não fizemos. O que importa é que a sensação não é aquela de " vc me fecha como ninguém", completo. A sensação é de falta, de enjoo, de anseio por novidades. A calma não traz aquela felicidade, aquele prazer. E eu não preciso escrever o que eu quero fazer agora. Eu não preciso. Eu não quero. Mas eu vou ter que falar, fazer. E dói pensar isso. Mas isso aconteceu e não vou fingir que não é comigo.

Só te peço uma coisa: Não idealize. Não complique. Não me confunda depois de tudo parecer tão certo aqui dentro. ´E incrivel como vc parece estar lendo tudo que eu estou escrevendo aqui. 

Nenhum comentário: