29 de jul de 2008

Cotidiano


"Acho q a gente pode se dar bem"


e não é que eu acredito em você...
Me chamou a atenção, conversamos e depois disso tudo entre nós ficou meio distante, não nos víamos mais, nossoa horários não batiam...e eu apressada tratei logo de tentar conhecer outros...mas nada que me comovesse.

Vez ou outra você aparecia e sugeria que queria manter o contato. Mas nada concreto. Odeio isso.

Até que um dia, você me ligou naquela manhã vazia (sorry Ira!) e na mente (ao contrário da música) já não tinha mais tantas fantasias.

Mas foi te ver, te escutar, ver seu "jeitinho" e eu voltei a acreditar no que você tinha dito:

" Acho q a gente pode se dar bem".

Para mim as palavras tem grande importância...espero que para você também!

Ai menino, coloco fé em você...

28 de jul de 2008

Quero perder meu tempo com você....

24 de jul de 2008

"Para resultados diferentes, você precisa fazer coisas diferente!"


"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.
Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.
Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto para morar. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.
O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.
Tudo depende só de mim."



É exatamente isto que estou tentando fazer em minha vida: administrá-la de uma forma suave e bem vivida. Afinal, meu curso de administração é bem aplicavél a vida também!!!

Não sei se contei aqui mas estou estagiando e graças a Deus estou adorando...É impressionante como tudo tem a sua hora, tudo passa e tudo muda ...para melhor!

A cada vez que me pego preocupada com algo, algo lá na frente, logo coloco em minha cabeça tudo o que já consegui e como na época aquilo era motivo de muita incerteza também. E nada externo pode abalar o meu aconchego interno. Isso é fato.

Cansada do mundo virtual! Quero pessoas de verdade, que me olhem nos olhos e digam o que pensam. E não me esperem no msn para só então dizer: "Nossa, porque você sumiu?!". E acaba por aí!

Não. Quero pessoas reais, sentimentos reais, planos reais...
Estou planejando mudar várias coisas. Já comecei fazendo a limpa no meu armário...rsrs!

12 de jul de 2008

Felicidade Realista


A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando.

Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo.

Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.

Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade.

Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum.

Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo.

Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.

E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar.

É importante pensar-se ao extremo, buscar lá d entro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente.

A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio.

Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.

Se a meta está alta demais, reduza-a.

Se você não está de acordo com as regras, demita-se.

Invente seu próprio jogo.

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.

Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

Mário Quintana