22 de jun de 2008

Entrando no ritmo?

Alerta: Texto brega e super detalhado!

Sábado de festa de família, festa de 15 anos de minha prima. Me preparei como sempre. Gosto de me arrumar, de escolher roupa nova, ver que estou conseguindo deixar minhas unhas compridas e quão linda elas estão vermelho sangue hoje. Fiz meu make, cabelos ao natural (como sempre, cacheados...ai q vontade de deixá-los avermelhados..rs).

Fui para a festa.

Eu e minha irmã sempre fomos um pouco(quinho) tímida. Nas festas de família, não dançavamos. Eu sempre tive vontade de ir lá e dançar mesmo.Gosto. Não sei ao certo minha irmã, mas eu gosto. Então, sempre tinha aquelas pessoas (chatassss) que ficavam nos puxando para lá, para cá, falando que ninguém iria ficar olhando e tal, mas não sabiam que aquilo só fazia crescer minha vergonha de soltar-me. Era um círculo vicioso, onde menos se dança, mais se é notado (no lado ruim da palavra). E assim foi minha adolescência...
E não quero que seja minha juventude...
O tempo foi passando e fui perdendo o execesso de timidez, fui ficando mais aberta, dando uma "requebrada" aqui, uma alí. Lá com os meus quinze anos, comecei a ir para a balada com minha irmã, onde aprendi a me soltar e arriscar um rebolado. Mas só nas baladas. Somente no escuro ambiente de balada. Claro que teve uma vez ou outra em que estava muitooooo à vontade e consegui dançar um pouco em outros ambientes familiares.
Voltando a festa de hoje, eu não dancei. Queria, mas não dancei. Não sei o que acontece, mas algo me prende e quando chego em casa vejo que perdi uma oportunidade e isto me chateia.
E agora vocês me perguntam: Você ao menos sabe dançar??? E eu respondo: Não sou perna de pau não, pois em casa, solta, acerto os passos e gosto de sentir a música, mas a vergonha me trava.
Estou escrevendo tudo isto, pois quero mudar e sinto que escrevendo as coisas se clareiam na minha cabeça. Isso para mim é como uma "libertação" das minha inibições, deste "travar".
Pensei em entrar para uma aula de dança, para o teatro....Será que ajuda ou essa mudança deve partir, inicialmente na minha cabeça???
Não sei a resposta, mas uma coisa eu garanto: Eu ainda quero dançar muitoooooo e vou descobrir um jeito de fazer isto acontecer!

Nenhum comentário: