13 de jan de 2008

Só sei...


Parte I


Estou sentada aqui há um bom tempo.Lendo e relendo arquivos de coisas que quis postar no blog, mas não tive tempo ou coragem, coisas que copiei, pois achei perfeito e coisas que só estão em rascunho, mas que na minha mente já está passado a caneta.
É difícil escolher um assunto (diga-se somente um) quando se tem deles aos montes, mas são coisas vagas, desconexas. Fico imaginando como seria tentar escolher um assunto...
E para evitar os P.S., já aviso que este texto está mega confuso, mas tinha que deixá-lo sair assim, como tinha que ser...
Engraçado você desejar tanto alguma coisa e quando ela acontece, você meio que não sabe como lidar, aquela terrível fase de adaptação, que te faz ficar pensando horas e horas sobre o que fazer, o que falar!

Tinha que ter sido mais ou menos cautelosa? Deveria ter feito meu questionário, por que será que a gente passa por cima de assuntos, por puro medo de a resposta estragar aquele momento?
Será que deveria estar me sentindo diferente, nas nuvens? Não sei. Mas o que eu sei, é que ainda não estou assim, e acho estranho. Claro, fico super feliz quando estamos juntos, quando vejo seu número no meu celular, mas sinto que ainda não me entreguei, não entrei ainda de cabeça, parece que só faço isso depois que anulo todas minhas dúvidas sobre a pessoa, o clima, a bolsa de valores e o mercado imobiliário (penso demais). Coisa que ainda não fiz. E que se tratando de seres humanos talvez nunca saiba tudo. Mas por outro lado, quando o telefone toca, meu mundo treme...Será um sinal? Não sei, mas logo imagino que é você do outro lado.

Ao mesmo tempo em que penso em tudo isso, lembro da pouca experiência que tenho e que tudo que vivo me faz crescer e amadurecer a cada dia. Mas sei lá, queria ter respostas para tudo, certeza de tudo, saber onde estou depositando minha confiança, meu carinho, enfim, onde EU estou entrando, antes de estar ali realmente. Não sei se te falei, mas quando gosto, gosto, e me apego fácil demais. Deve ser por isso que demoro tanto a escolher e estar com a pessoa ali de verdade (acontecem brigas aqui dentro: deixar ou não você entrar?).
E tudo que escrevo vem com um quê de sofrimento, de alegria e de vontade de mudança, de esperança. Sim, esperar algo e alguém sempre esteve nos meus textos.
Eu tive muito tempo e imaginação para montar um cenário perfeito, com pessoas perfeitas, com meus sentimentos todos em ordem. Mas aí acontece... E você vê que te falta um monte de coisas, e que você não estava pronta para viver todos àqueles sonhos tão perfeitos e personagens tão dedicados.Talvez nunca estará.Mas aí tu pensa: “Se sonhei demais, já era...Sonhos são sonhos, porém já estava na hora de acordar e viver. Pronta ou não, estou vivendo.”
E chego na conclusão de que o mundo não vai dar uma “pausa” para eu me ajeitar e ensaiar. Por isso estou indo atrás de coisas que me façam bem e que eu posso bancar.E que graça teria se tudo fosse como eu imaginei?Não precisaria estar vivendo e esperando o dia seguinte com aquela vontade de saber o que vai acontecer e (again) fazendo mil cenários....

3 comentários:

Divã disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Divã disse...

Eu também demoro a me entregar e sei bem como é isso. A falta de ação com tantas coisas lindas que nos oferecem...
Apesar de ser assim, não recomendo. Acho que acabamos (eu e quem seja assim) sofrendo por antecipação, guardando sentimentos, gestos e palavras bonitas que naquele momento fazem sentido. Podem se perder daqui a dias, meses ou anos mas que naquele momento foram especiais.
Que você viva isso da maneira mais natural e sem medo,viu?
Depois conta pra gente o quanto vc tá feliz!!!! :)
Beijo

Mayara disse...

Da música 'tema' do seu blog a minha frase preferida é: 'até o dia em que eu mudar de opinião.'

:)

seja feliz, menina.